sábado, 3 de abril de 2010

"Equívocos do Feminismo".



Aos olhos comuns, o primeiro equívoco ao se definir uma feminista é considerá-la uma sexista, ou seja, alguém que acredita estar acima dos homens e ser melhor que eles em todos os aspectos. Porém, essas mulheres são, na verdade, as femistas, que andam de mãos dadas com os machistas, por serem auto-suficientes e preconceituosas em suas convicções. Sabemos que o feminismo prega a igualdade entre os sexos, e luta para que as mulheres tenham as mesmas oportunidades e direitos que os homens, e que não instiga criar uma guerra entre os sexos, que é exatamente o que essas falsas feministas fazem, distorcendo a base do movimento igualitário feminista, generalizando-o e tornando-o preconceituoso.
O segundo equívoco e o mais grave de todos cometido pelo senso comum é considerar que toda feminista, via de regra, é uma mulher mal amada e amarga em relação ao sexo oposto, e que a mesma, obrigatoriamente, é homossexual. Para esta, no caso, as relações homossexuais seriam um modo de buscar o êxito não obtido com as relações heterossexuais que ela já vivenciou, e que se iniciam principalmente, por que a mesma possui uma admiração extrema pela mulher e a considera superior ao homem.
Infelizmente, essa visão distorcida foi muito disseminada pelas mulheres mais extremistas dos anos 70 que se diziam feministas, e as defendiam com unhas e dentes, seguindo-as até as últimas consequências. Entretanto, hoje sabemos que essas mulheres eram extremamente sexistas e homofóbicas, pois subentende-se que elas tornavam-se homossexuais não por amor e por uma inclinação natural de sua personalidade, e sim por asco ou aversão ao sexo oposto.
Tal crença acaba distorcendo totalmente os ideais feministas, que pregam igualdade e respeito às diferenças, calcando-se nas verdadeiras intenções do Movimento Punk, e que por andar lado a lado com o mesmo, originou o Movimento Riot, através do qual emergiram várias bandas de punk feminista.
Por isso, a primeira atitude a ser tomada por quem quiser abraçar o feminismo, é a de pesquisar e se informar sobre o que realmente significa e é o movimento feminista, e ter, principalmente, a mente aberta e livre de qualquer preconceito ou generalização, para que a luta pela igualdade e aceitação das diferenças nasça de dentro para fora, e faça-se plena de sentido e verdade, e livre de estereótipos.

Por ♀Mari Diaz† - ♀Riot Vicious†.
10/07/09

12 comentários:

  1. Olá, Diaz: Estou aqui marcando ponto.
    Essa história de Movimento Feminista,
    GLBTs (gueis, lésbicas, bissexuais e transgêneros), efetivamente, não é m/
    praia. Mas, como vc diz, o preconceito
    social, militar e religioso me cansa.
    Acredito piamente que o homem ou a
    mulher pode nascer com a consciência
    trocada. Nesse caso, não tem nazista,
    general, padre os pastor que modifique
    alguma coisa. O ser humano é autonomo,
    independente, inteligente e imutável.
    Não existe conversão existe a mentira.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso florzinha. E ótimo você ter discursado a respeito, porque semana passada, num bar entre amigos, discutia o mesmo tema.
    Que ser feminista não tem nada de direto com ser homossexual, sendo cada um dos elementos diferente um do outro.

    Super texto, e continuo sua fã... besos e obrigada por me visitar também!

    ResponderExcluir
  3. Olá Mari, gostei do seu blog. Realmente temos muito o que refletir mesmo.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  4. Oi amiga....sua reflexão sobre o tema é bem oportuna.Feminismo não tem nada a ver com homossexualismo e ponto.
    Abreijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Vim retribuir sua visita ao meu blog e à minha pagina no Orkut! Aproveito para parabenizá-la pelos textos, muito bem escritos! Continue assim!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Nossa "tá aí", eu pensava exatamente dessa maneira, não me afirmava "feminista", pois as que conheço seguem essa "linha" de se afirmarem superior aos homens, o que eu discordo totalmente. Igualdade é a palavra, em todos os sentidos, não só entre homem e mulher, mas como um todo.
    Parabéns mesmo pelo blog e obrigada pela visita!!

    Abraços
    Poliana

    ResponderExcluir
  7. Oi Mari!
    Obrigada pela visita, volte sempre ;)

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, srtª Riot!
    Muito bom teu texto. Achei o blog muito bacana e muito obrigado por visitar o meu tbm. Fique a vontade para comentar.
    Abração e força sempre!

    ResponderExcluir
  9. olá, poeta [e digo poeta pela mesma questão de cecília meireles que não gostava de ser chamada "poetisa" - "Poetisa”, dizia ela " é qualquer mulher que faz versos; poeta, uma autora de mérito” =] amei seu blog e muito obrigado por visitar e comentar no meu... um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito, tava na hora de alguém poder explicar isso ao mundo. Eu gostei muito desta postagem, sempre me considerei feminista, socialista e anti-racista, tenho centenas de amigos gays e por isso sou tachada de bissexual, só não homo pq eu namoro, mas acho que você realmente usa seu blog de verdade não para fins futeis, legal, continue assim.

    ResponderExcluir
  11. Todo mundo é um pouco "mal" acostumado a viver entre iguais seja por afinidade ou na pior das hipóteses pela exclusão.é fácil falarmos de inclusão quando não somos os excluidos!!!Infelizmente ainda precisamos destas definiçôes :machistas,machos,feministas ou femistas...Precisamos sim todos serem respeitados como iguais que somos!!!!Por um mundo mais igual e sem rótulos!!!
    gostei muito de sua iniciativa de abordar um tema tão polêmico!!parabéns!!!

    ResponderExcluir
  12. muito legal teu blog, mari !.. concordo em tudo o quanto vc disse a respeito do feminismo.. obviamente, essas distorções de foco no que vc indica como "femismo" em contraposição ao "machismo", foram absorvidas (infelizmente) pela massa da sociedade que sempre insiste em se impressionar exatamente com o lado obscuro das coisas. e la nave vá.. mas gente esclarecida como você vai aparando as arestas, incitando a polêmica (que neste caso particular nem chega a existir, pelo menos pra quem sabe pensar), e arejando as idéias dessa raça tão conturbada que é a nossa raça humana em pleno século 21.. parabéns !!

    ResponderExcluir